Dístico da Igreja Evangélica Brasiliera
Igreja Evangélica Brasileira
Datas
Congregação de Poções 6 de Junho de 1954
63º aniversário da Congregação de Poções - BA
Congregação de Vitória da Conquista 7 de Junho de 1998
19º aniversário da Congregação de Vitória da Conquista - BA
Congregação de Bangú 13 de Junho de 1902
115º aniversário da Congregação de Bangú -RJ
Congregação de Arraial 18 de Junho de 1978
39º aniversário da Congregação de Arraial -SP
Congregação de Brasília 21 de Junho de 1992
25º aniversário da Congregação de Brasília -DF
Congregação de Recife 27 de Junho de 1954
63º aniversário da reabertura da Congregação de Recife -PE
29 de Junho de 1941
76º aniversário da Congregação de Guaiaúna -SP

A Igreja Evangélica Brasileira foi chamada à existência para pregar aos homens a Verdade, mostrando-lhes o caminho, que, seguido, os conduzirá à vida. Procura induzí-los a trilhar a senda que os levará aos pés do seu divino Mestre e Senhor. Concita-os, assim, a procurar no próprio Deus, fonte perene do bem, aquilo que os tornará eternamente felizes: a graça divina que, por jamais ter fim, sobrepuja a todas as coisas que, sendo terrenas, são para eles coisas efêmeras e passageiras.

É proibida a cópia de imagens, textos ou reprodução de qualquer tipo, sem prévia autorização.

Correio Eletrônico: webmaster@igrejaevangelicabrasileira.com.br

© 2000 - 2017 Todos os direitos reservados

Notas

"O temor e o amor são duas cordas com que o homem se prende a Deus. O servo teme e pode não amar; o filho ama e não teme. O amor, a "caridade perfeita, lança fora o temor", diz S.João (1ª Epístola 4:18).

Devemos obedecer, pois temos visto ser Ele o Criador, o Senhor, Aquele que nos deu o ser (que tirou do nada toda a sua obra), o juiz que julgará se essa obra preenche os fins para que foi criada e formada; Deus em suma. Devemos obedecer por amor e gratidão, por ter dado liberdade ao povo tirando-o da escravidão do Egito por meio de Moisés, com maravilhosos sinais e prodígios. ”

Ensino ministrado pelo Doutor Miguel no livro O Cristo no Júri (pág. 177 Ed. 1991)